quinta-feira, abril 12

Meus filmes (tipo drama)


Tem horas que "sonho" acordada. Ou fico, enquanto junto a bagunça do Theo e da Sofia, organizando (de cabeça), os meus projetos... Turbilhão de pensamentos, várias pulgas, como disse, descontraidamente, uma amiga blogueira.
Da vontade de parar, voltar lá no número um, no começo da amarelinha e jogar a pedra com mais fé, pra acertar em cheio, de primeira, o alvo e gastar menos tempo com algumas bobagens, com grilos...
Mulher tem mil coisas na cabeça. Sempre... mulher que é mãe, mais ainda. Com isso são 1001 inspirações, vontades e planos. E, sim, preocupações. É a saúde, o marido, carreira, filhos, um curso novo, uma bolsa nova, corpo,  espírito...

Sofia e Theo estão numa fase nova pra mim; são mais  exigentes  quanto  aos lugares  que querem ir, por  exemplo (já? Sim, já...), às programações dos finais de semana (pois é, verdade), com o que vai ocupá-los de um modo geral. Fazem cara feia, querem exigir... E o caçula imita o mais velho.  Enfim, tudo aquilo que já fizemos, que ouvíamos de nossas mães e avós, mas que se transforma em novidade quando é conosco... quando a história é com nossos filhos, adquire cara de coisa inédita - tipo nunca vi, não sei fazer.

- Mamãe, este sábado temos o aniversário do Diogo, você não se esqueceu, né? - diz a Sofia, fazendo um certo charme...  É mãe (agora acho que vou te chamar de mãe, porque mamãe é para meninos pequenos e eu já fiz seis anos....), leva a "dgente" na festa dele? - completa o Theo com aquela marra habitual.
E eu?
Penso.
Nas receitas sugeridas para educá-los, na (pouca) experiência como mãe, no que vivenciei com meus pais e, acima de tudo, nos exemplos que devo dar a eles. Nestes momentos a primeira ideia é: Não quero errar!  O desejo é de orientar, buscar as coordenadas exatas para um caminho certeiro, que conduza a cabecinha deles para fora da ansiedade, dos maus modos, do modismo... Com calma...
Eles exigem; eu vou tentando algumas manobras, contornando seus novos draminhas, as vontades excessivas, a mini ansiedade. Vou recheando os dois de amor, procurando aproveitar e sentir cada fase nova que eles adentram... montando um outro filme; E  como diz a belíssima Ana Jácomo:
"A felicidade vibra na frequência das coisas mais simples." 
Sempre, sempre!


12 comentários:

Dri Viaro disse...

Bom dia, tenha um ótimo final de semana :)

beijos

Dri Viaro
www.driviaro.com.br
www.ameliasdesalto.com
www.ateliefesteiro.blogspot.com

Ana disse...

Frase perfeita não é!
Parece que renascemos quando viramos mãe.
Temos que aprender tudo de novo. Rs
Beijão!

Cae Fernandes disse...

Eu adoraria que minha mãe tivesse escrito como você ...talvez eu a compreendesse melhor.
Afinal, só num futuro bem longe seus filhos irão entendê-la!! rs
Não tenho filhos, mas lendo seus textos, vivencio e entendo esse universo...
Bjos

Mi Satake disse...

É verdade, meninas!

Essa coisa de experimentar o universo materno nos ensina e faz tb com que compreendamos um pouco melhor nossas mães!

Bjão pra vcs!!!

S* disse...

Eu adoro ser feliz com coisas pequeninas. :D

Mi Satake disse...

Me too rsrsrsrs!
Na verdade aprendendo a fazer isso, e O MINHAS PEQUENAS COISAS, tem me ajudado, acredite!

Bjs

Betty Gaeta disse...

Oi Mi,
Isto é só começo, pois vai chegar o dia em que além de chamar de mãe (não mais de mamãe), querer ir no aniversário do Diogo, ainda vão querer que vc deixe meia quadra antes, pois pega mal chegar com a mãe! Tb vai pegar mal qdo a mãe beijar e deixar marca de batom, a mesma marca que eles exibem com tanto orgulho qdo são menores.
Não se esqueça nunca: "Ser mãe é a arte de se tornar desnecessária".
Beijos 1000 e um restinho de semana maravilhoso para vc.

www.gosto-disto.com

Ju Dalzoto disse...

Oi Mi!

Bom te ver lá no blog!!!
Que coisa né! A vida de mulher é sempre assim, mil pensamentos mirabolantes... tb sou assim! E quanto à educação, idem! Isso que os meus sao menores que os seus!

Mas penso como vc, a gente já viu esse filme, mas quando acontece com os filhos da gente, putz, parece que não sabemos mesmo o que fazer. O bom é que precisamos fazer algo, e geralmente, nos damos bem! Vc é uma ótima mãe que eu sei! Então, acho que o caminho é mesmo esse: pensar, pensar e pensar.

Beijão, Mi
e super boa sorte lá no sorteio!

Ju

PS: "Dói" quando eles chama de apenas de "mãe", né?!

Mi Satake disse...

Betty! Sabias palavras... A arte de se tornar desnecessária! Sera q consigo? rsrsrs
Qta coisa temos q reaprender com eles, e sobre eles....
Bjo

Ju!
Legal vc aqui tb!
E da uma dorzinha de ve-los crescer, de chamar a gente de MAE...
Da vontade de mimar, de prender e amarrar pra nao crescer tão depressa.

Bjo grande e bjo nos meninos

Sheila do Blog Passarinhos no Telhado disse...

Mi!
Gostei da visitinha!:)
Passando para te deixar um beijo e agradecer!

Quanto ao post...
Curta bem essa fase, pois passa rápido! Não sou mãe ainda, mas ouço isso sempre!

beijo grande!

Isadora disse...

Oi Mi que tarefa essa nossa, né? Cada fase é uma novidade.É inédita e ontem vivi mais uma dessas fases inéditas que foi uma conversa sobre o corpo, sobre a primeira regra com a minha de quase 10. Algumas perguntas feitas e respondidas e muita mas muita conversa.
E vamos entre erros e acertos seguindo.
Boa sorte com os pequenos.
Beijinhos

Mi Satake disse...

É novo pra eles, é novo pra gente, né?

Qto aprendizado, duvidas, mas muito, muito crescimento!

Um bom finde!
Super Bjo

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...