segunda-feira, março 21

OUTROS TEMPOS


Sim, os tempos são outros.
A frase tem jeitão de clichê, mas algumas situações realmente ainda nos surpreendem. 
São hábitos, ideias e conceitos diferentes daqueles que aprendemos como únicos e corretos, em nossa formação como indivíduos.
Na última reunião escolar do Theo e da Sofia, ouvimos da diretora que a partir deste ano não mais veríamos no cronograma anual, datas distintas para a comemoração do dia dos pais e dia das mães. Passaríamos a comemorar o Dia da Família, em uma data ainda não definida. Isso porque muitas crianças não vivem mais naquele meio familiar convencional - pai, mãe e filho -, muitas são filhos ou filhas de dois pais ou duas mães.
Naquele momento, mesmo me achando uma mãe descolada, uma pessoa tranquila para abordar ou ouvir sobre quaisquer assuntos, me vi surpresa com o então Dia da Família.
Preconceito? Talvez. Porém, mais por nunca ter pensado muito a respeito, do que por inflexibilidade ou outros sentimentos puramente intolerantes. Nada grave, nada imutável.
Fiquei ali sentada, quietinha... pensando. E um misto de sensações dos mais enigmáticos, mais complicados de se compreender ficou por ali me cercando, rondando sorrateiro. Era um tanto de alegria, por perceber o posicionamento da escola dos meus filhos, e entender que a diretriz que estavam tomando era bastante firme e sensata  e mais um tanto de confusão, por me ver ainda tão surpresa com tais questões (estava ali a pessoa mais quadrada do mundo). Mas confesso aqui que foi divertido; ri muito de mim mesma, dos conceitos que trazia comigo, julgando-me moderninha (rs). Foi gostoso permitir e entender como positivas, todas aquelas decisões e todas as "novidades" que fazem e farão cada vez mais parte de nosso universo, especialmente o de nossos filhos.
Coincidentemente (ou não), a Pais e Filhos de março deu  espaço para o tema, e a matéria Duas Mães ganhou destaque na edição.
Polêmico? Suuuper!
Há muito sendo discutido acerca do assunto.
A ideia central na revista, é que crianças criadas por duas mães, tendem a ser mais equilibradas, mais preparadas e mais confiantes, do que as criadas por pai e mãe. Segundo pesquisas, mães são mais envolvidas e mais informadas sobre a rotina escolar dos filhos, por exemplo, são mais comunicativas e participativas, o que é fundamental para que uma criança se desenvolva de modo saudável. Além disso, pelo próprio contexto, mães lésbicas (e que fique bem claro que isto não é privilégio somente delas),  mostram-se mais tranquilas para abordar temas como sexualidade e outras coisas complicadas, com mais abertura e prontidão. 
Os pais divergem totalmente e defendem sua posição e a importância de seu papel, firmemente.
Difícil, não é? 
O tema traz, sem dúvidas, muitos pontos a serem discutidos. É denso e delicadíssimo sob meu ponto de vista aprendiz, de mãe e de mulher.

Uma criança precisa fundamentalmente de pai e mãe? Estas presenças são decisivas para a garantia de uma boa formação?
Aquelas criadas por duas mães, como tratou a materia, serão mesmo adultos mais equilibrados e auto-confiantes (o que é ser equilibrado neste sentido? Ser manipulável, menos ousado?)?
E o pai onde fica?
É certo dizer que nossa conduta ou a de nossos filhos seria outra (melhor e mais preparada) se não tivesse havido a presença masculina tão marcante para todos,  de uma ou de outra forma?

Prefiro dizer por mim. Que minha casa não é apenas o cantinho onde vivo com meus filhos e o (super) pai deles. É um  lar, um círculo de amor que nos envolve e aos nossos pequenos. E o amor, este sim, garante adultos felizes e prontos para pescar quando não tiverem o peixe pronto na mesa.

Aproveito para deixar também umas dicas bacaninhas sobre o assunto:

 O filme:
 Minhas mães e meu pai ,com Julianne Moore e Annette Bening.

E dois livrinhos bem legais (Fonte: Revista Pais e Filhos):
 Olívia tem dois papais, da Márcia Leite, Ed. Cia das Letrinhas



  O Livro da Família, de Todd Parr, Ed. Panda Books


P.S.: Março é o mês do Theo, que completou 5 aninhos no dia 19.
Deixo aqui registrado, filho, todo o amor e carinho que tenho por ti.
És sagrado, uma benção na vida da mamãe, assim como a Sofia. Beijinho!


Beijos a todos e boa semana!

26 comentários:

Amanda Luna disse...

Oii acho bacana comemorar o dia da familia, assim fica mais eclético e todas as crianças participam, pois meso que não tenhas 2 maes ou 2 pais, as vezes a criança só tem um adulto em casa ( tipo no caso de mães solteiras) e aí ficam deslocados no dia dos pais porque todo mundo faz aquela homenagem e a criança sem o pai não tem para quem entregar seu prsentinho... gostei dessa ideia, vou sugerir na escola do meu sobrinho!!!
quanto as sugestões adorei, tô doida para ver esse filme, parece bem engraçado!!!
beijão
www.sermulhereomaximo.com.br

Mi Satake disse...

Amandinha, suuuper bacana sua posicção.
Todas estas questões são mesmo delicadas. Qdo envolvem nossos filhos ou crianças de uma forma geral, temos q pensar, cuidar de tudo com muita atenção. Por eles.
Beijos

Logo mais to visitando a todos!
Bjo bjo

Chris Ferreira disse...

Oi Mi,

Acho que em uma família com dois pais ou duas mães, um assume o papel de pai e outro assume um papel de mãe naturalmente.
Não sou psicóloga mas a presença do masculino e do feminino diferenciadas são importantes. Por isso acho que nessas relações um assume um papel mais de patrenidade ou outro assume um papel de maternindade. Entendo que no dia das mães poderiam ir os dois ou um assumir esse papel e no dia dos pais poderiam ir os dois ou o outro assumir esse papel. Acho que eu não gostaria de perder o meu direito a ter um Dia das Mães por mais que seja uma data comercial. Acho que eu não gostaria que as minhas filhas perdessem o direito de comemorar individualmente o Dia do Pai e o Dia da Mãe. Acho que eu me sentiria meio que prejudicada por seguir um padrão.
Mesmo as crianças que possuem só pai ou só mãe tem um parente (avó, avô, tio, tia, padastro, madastra) que assumem a posição.
Complicado, né? Para pensar. E difícil me explicar com palavras. Fica muito monólogo. Acho que tem que ser um assunto para debater. Ouvir o ponto de vista dessas famílias.
Acho que estou me sentindo meio egoísta.
Tudo bem, faz o dia da família na escola e eu faço o dia das mães e dia dos pais em casa. Fica bom para todo mundo.


O livro da família eu já li para as meninas e é muito legal mesmo.

Vou procurar o outro.
Beijos
Chris
http://inventandocomamamae.blogspot.com/

Ana Paula mãe da Sophia disse...

delicado...

Long Haired Lady disse...

o fundamental é o amor, mas é fato que uma presença masculina dá a perspectiva completa, a visão do lado masculina da vida.
acho que as mulheres são muito arrogantes em relação a filhos, elas acham que só elas são necessárias.

Flávia - Compartilhando Idéias... disse...

Oi Mi!
Vim matar a saudades daqui e me deparo com este post tão polêmico...rs

Tudo bem ter o Dia da Família, mas eu não abriria mão do Dia das Mães e do Dia dos Pais. Inclusive abolir essas datas já seria um motivo para eu mudar as crianças da escola. Radical? Pode ser, mas não concordo com "duas mães".

Acredito que uma família dita "normal" ou tradicional já tem tantos problemas, imagina uma... digamos... "moderninha".
A ausência de pai, do meu ponto de vista, desequilibra a família. Não é a toa que Freud, o maior psicanalista da história, dedicou toda sua vida estudando a importância paterna na vida das crianças.

Acho que sou quadradona mesmo! rs

Beijos querida!!!!!
Adoro você!

Mi Satake disse...

É meninas, sem dúvida a presença masculina é fundamental. Importante o amor acima de tudo, mas como disse uma amiga minha no facebook, essa ideia das duas mães é legal para as que escolheram isso, talvez. Pra gente isso é demais.
Agora em relação ao dia da familia, achei interessante. Obviamente, não é uma data tranquilinha, uma novidade q não traz discussões, mas achei bonito, achei importnte o posicionamento em relação ao preconceito, algo pessimo e q não há no colegio deles. Claro q tudo isso esta sempre aberto a discussões e opinioes, sempre!


Super beijo pra vcs!

Malu disse...

Oi , Mi !

Estou ótima , obrigada.
:)

Penso que família é tudo nessa vida.
Se é composta por 2 pais , 2 mães,
ou qualquer outra combinação ,pouco importa.
Importa é que impere o Amor e o Respeito.


Bjo Grande !

Roberta M. disse...

Oi Mi, desculpe mesmo o sumiço, mas confesso que fiquei matutando esse assunto e acabei que nao postei rssss, mas penso que essa é uma situaçao que cada vez mais vai acontecer e na sala do meu filho mesmo tem um caso assim, se nao pudermos mostrar aos nossos filhos todas as diferenças que existem no mundo, vamos criá-los com uma certa incomoda hipocresia! E eu detesto isso rsss!! Entao acho que é delicado sim, diferente, ainda polemico, mas é um caminho sem volta amiga, quebrou-se a barreira do preconceito e agora e abrirmos nossas cabeças e aceitarmos a diferença!! pai e mãe nao significa homem e mulher necessáriamente...beijocasss

Mi Satake disse...

Como é delicado falar sobre isso.
Dizer q a familia A esta correta e censurar a B.

Sem dúvida uma coisa é certa msm: O amor e o respeito devemser aas bases de quaisquer familias. Sempre.

Bjo e uma excelente tarde pra vcs!

Rosi disse...

Nossa, Mi! Muito delicado mesmo esse assunto.
Concordo com você que o mais importante na criação dos filhos é o amor, os princípios éticos e morais passados para eles. E isso independe da configuração do casal, se é hétero ou homossexual. Mas uma coisa me preocupa nesse assunto, acho que a mídia e algumas pessoas mais radicalmente a favor dos casamentos gays, estão usando uma série de argumentos para justificar tais uniões. Tenho medo que isso comece a criar realidades impostas. Tipo: Pais homossexuais criam melhor seus filhos. Acho essa afirmação tão radical quanto o oposto dela.

Não sei se eu serei uma mãe moderninha...hehehe Não sei se ficaria confortável com essa mudança nas datas comemorativas que aconteceu na escola dos seus filhos. Tudo bem que no fim das contas tudo deve girar em torno da família, mas acho legal a escola celebrar dia dos pais e dia das mães. Podia apenas acrescetar o dia da família...sei lá! hehe

bjo

Donna disse...

Oiiiiii Mi!!

Amiga desculpe o sumiço total,mil coisas aconteceram...enfim,estoy de volta!! rsrsrs....ah,sempre que eu vejo o meu Dior em cima da bancada do meu banheiro lembro que ganhei aqui de você! legal né?!Adorei!

Ps: Estou gravidissíma amiga,de 4 meses e meio!!!!!!!!uhuuu!!
Pode deixar que vou tentar ser mais presente Mi!

Quanto ao seu post,concordo com que é um asunto pôlemico..mas não sei dizer exatamente minha posição em relação ao Dia da Familía...temos que pensar que muitas crianças não tem pai ou mãe o Dia dos pais realmente pode ser torturante para essas crianças....é uma faca de dois gumes mas acho que a Escola está tentando acertar mesmo que aos olhos de alguns pais estejam errando.

Fui mãe solteira muito cedo e sei que pra minha filha o Dia dos Pais era um dia muito triste e cheio de conflitos na cabecinha dela,criei ela com a presença dos avós maternos...mas se pararmos para pensar:
Quantas crianças saõ criadas por "outras" pessoas que não os pais?
Será justo também com elas?
é dificíl agradar a todos...por isso acho que a idéia inicial da Escola em implantar o Dia da Família,como um "todo",pode ser muito bom para todos.


Enfim....um suuuper beijo,WAL!

Mi Satake disse...

Quando coloquei o post imaginei q seria msm polemico, q traria muitas questões divergentes e tal. De todo modo, ta sendo suuuper legal compartilhar e trocar tanto com vcs, sobre um assunto tão relevante para todos, independente das opinioes!

Q bom ter um papo assim, onde tudo esta sendo colocado de forma a acrescentar!

Bjão

Fabi a loba!!! disse...

Oi Mi, que assunto delicado!!!

Concordo em comerorar o Dia da família, minha filhota tem uma amiguinha na escola que perdeu o pai aos 3 aninhos em um acidente de carro e sempre que chega o dia dos pais ela fica constrangida pois não participa da festa (opção da mãe) e nem compra o presentinho para o pai, se comemorássemos tudo em um dia só, vários tipos de constrangimentos, como o que citei, seria evitado.

Temos que acompanhar o mundo em que vivemos, se hj tem criança com dois pais ou duas mães, temos sim que fazer um dia só para a família que envolve todos de uma vez não?

Beijokas

Mãe Mochileira, Filho Malinha.. disse...

Oiii..bem,é bem polemico mesmo esse tema..porem a gente n pode ignorar que o mundo mudou,os valores mudaram,a sociedade mudou..e temos que mostrar aos nosso filhos !!
Os livros parecem ser boa forma que se abordar o assunto com a leveza necessaria! parabens a iniciativa da escola!!!
beijos,otima semana!!!!
;-)

Ana disse...

Vixi que agora fiquei colada com essa ideia do dia da familia...
Vou ter que pensar mais um pouco. Kkkk

O bolo eu ganhei da Cynthia:http://eulalios.net/boutiquedoacucar/

O brigadeiro de copinho eu mesma fiz. Peguei a receita no site da nestle:http://www.nestle.com.br/site/cozinha/receitas/Brigadeiro_de_copinho_MOcA.aspx

As sacolinhas eu comprei com a Andresa: http://www.elo7.com.br/euenice/

Agora o painel eu comprei naquelas lojas de festinha de aniversário.
Não enfeite muito pq eu só tinha 10 minutos para montar tudo e 30 minutos para a festinha.
Imagina a correria!
Hehehe
Vc já tem o tema da festa?
Posso te ajudar a procurar ideias se quiser!
E já vi que me achou no facebook. Rs
Beijos!

Mi Satake disse...

Rsrsrs Aninha tu és uma linda!
Brigadíssima pelas dicas, pq sou totalmente desssantenada de tudo q é prenda do lar, festinhas, sabe essas coisinhas q a gente tem q ter jeito pra fazer? Aff q o fiasco sou eu aqui!

Ah, te achei msm no face rs!
Bjocas

S* disse...

Mãe e pai são fundamentais... a mãe é fundamental, obviamente, mas o pai também. E o Dia da Família seria perfeito.

MuitoCriança disse...

Obrigada minha linda por nos prestigiar. Se vc quiser alguma coisa pros seus filhotes e o número que tenho não serve, pode me pedir que faço sob encomenda.
Bjs

Denise Portes disse...

Muito fofo e delicado.
Um beijo
Denise

Denise Portes disse...

Muito fofo e delicado.
Um beijo
Denise

♪ Sil disse...

Mi, sabe o que eu acho?

Que familia, é sempre FAMILIA.

Não importa dois pais, duas mães, nada disso.
O que importa é o AMOR, nada mais.

Mi, você é tão querida!
Obrigada por entender minha sempre ausência.
Postar no meu blog tem sido uma terapia.

Ando com pessoas doentes na familia, o que me deixa triste, mas nada que DEUS não possa agir.
Seja feita sempre a vontade dele.

Um beijo, e não esquece nunca o quanto adoro aqui, e o quanto adoro você!

Ioly a dona do verdades... disse...

Mi, não concordo com tudo que está a minha volta, mas respeito o direito do outro, e evito julgamentos, definitivamente o ser humano não está preparado para isso.
É muito bom ver as escolas se preocuparem com esse assunto, afinal o mais importante para elas deve ser o bem estar das crianças.
As pessoas se tornam especiais para nós pelo que são, sua opção sexual não interfere nisso.
bju no coração

Ceiça Frota disse...

Oi Amanda mt legal! Adorei as dicas de livro!
Bjus
garimpus.blogspot.com

Micheli disse...

Assunto delicadíssimo, hein, amiga?
Eu vi esse filme com o marido e nós não gostamos.
Quando você começou falando do dia da família, eu achei que era por conta de muitas mães solteiras, pais separados e ausentes, etc. Na escola da pequena comemora-se o dia das mães e o dos pais não... Achei super errado, mas entendo que seja difícil para quem não tem o pai. Mas eu cresci sem mãe e nem por isso deixava de participar disso na escola, a gente tem de aprender a lidar.
Fiquei chocada quando você explicou. Não estamos preparados para lidar com esses assuntos mesmo.
Sim, temos de pensar, os tempos mudaram. E não é fácil tocar nesse assunto com os filhos. Imagino que a escola tomou essa decisão em função de "pais" diferentes dentro da escola mesmo. Legal ter partido da escola essa preocupação.
Beijos.

Albuq disse...

Oi Michelle!

Você trouxe um tema muito polêmico de forma muito interessante.
A escola dos seus filhos está de Parabéns, está promovendo o respeito ao próximo e mostrando que independente de qualquer posicionamento, todos somos iguais. REalmente, se ver na sua situação deve ter sido uma balançada para rever os conceitos e perceber que realmente o mundo está muito mudado.
Que Deus abençoe seu lar e parabéns para o rapaz e pela mãe que você é. bjsssssss

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...