terça-feira, junho 12

Livre para pensar, falar e fazer




Imagem: daqui


Domingo teve Parada do Orgulho Gay. Nunca fui a nenhuma edição, mas sempre converso com alguns amigos, sobre. Impossível negar sua importância e repercussão. Em todos os aspectos.

Quem acompanha mais de perto sabe que, desde a primeira manifestação, seus números são sempre records, o público é massivo e o evento é o maior do mundo no gênero. Os desfiles que acontecem anualmente, levam para a Av. Paulista - e para todo canto -, além de milhões de pessoas e muitas cores, debates mais ativos  sobre preconceito, intolerância e outras atitudes desrespeitosas, das quais todos somos vítimas vez ou outra. Tem bagunça e tem barulho? Tem, sim senhor. Muito; Mas em São Paulo -  cidade palco de tantos movimentos e acontecimentos marcantes -  alguns temas (infelizmente) só  são registrados, ou alcançam o espaço merecido com algumas batidas a mais.

Este ano olhei para o acontecimento mais atentamente. Achei bonito, entendi como necessário, mesmo sem estar lá dentro, mesmo sem ser ativista de tais movimentos.

Uma vez escrevi no blog sobre o Dia da Família na escola dos meus filhos. Está tudo AQUI. Se acontece? Não. E ignoro o motivo.
Polêmico como muitas ideias de cunho semelhante, provavelmente mexeu com princípios e essências preconceitosas de muitos pais e muitas mães. Foi daquelas sementes que morrem antes de nascer.

Complicado mostrar aos filhos que alguns amiguinhos têm dois pais ou duas mães? Bastante. Tanto quanto é real; Portanto não há como colocar sob o tapete, deixar pra pensar mais tarde. E se outras concepções morais são realidade, isso pode  e deve ser ensinado aos nossos pequenos. Desde cedo. Por pais e educadores.

O Manifesto do Orgulho Gay  defende a diversidade, a igualdade... com entusiasmo e alegria. Meu modo de  ver,  diz que é exatamente assim que as coisas devem ser passadas às crianças.
Cada um é dono de si e de sua felicidade. E ser/estar feliz é bom. Isso todo mundo quer e recomenda.

Feliz  Dia dos Namorados. A todos!




"No mundo existem pessoas do mesmo sexo que se amam; pessoas de sexos diferentes que se amam; pessoas que mudam de sexo para se amarem; pessoas que não se importam com o sexo e amam..." (Vinícius Santos, jornalista do Catraca Livre)







10 comentários:

Michele Santti disse...

Sempre bom aqui.

Bjs

Mãe Mochileira,Filho Malinha disse...

Eu acho dever de qualquer pai e mãe,alias,de qualquer ser humano respeitar o proximo e ensinar seu filho a fazer igual...saber aceitar os outros e suas escolhas..respeito,acima de tudo.E com isso tudo flui mais facil..até quando meu Deus ainda vamos ter que lidar com pessoas que tapam os olhos e ouvidos para as decisoes,gostos e valores do proximo?? :/
bjs,Mi e uma excelente semana pra vc!! :)

Mi Satake disse...

Mi!

Especial encontrar seus comments!

Bjs

Mi Satake disse...

Aninha!


Revoltante certos comportamentos, né?

Adoro suas visitas. Tudibom!
uma pessoa sem preconceitos, ousada e cheia de beleza!
Em todos os sentidos!


Um lindo dia dos namorados!
A todos!

Bjs

S* disse...

Espero que um dia sejam verdadeiramente respeitados.

Betty Gaeta disse...

Oi Mi,
Estamos caminhando a cada dia para uma aceitação maior do ser humano como ele é. A minha enteada comentou, que leu em algum lugar, que os especialistas dizem que dentro de no máximo 30anos vai ser normal perguntar para um pessoa se ela é casada com um homem ou com uma mulher. Eu espero que sim.
Não estou encontrando o vídeo da Lília Pace que vc citou! Será que vc tem o link?
Beijos 1000 e um meio de semana maravilhoso para vc.

www.gosto-disto.com

Albuq disse...

Oi Michelle, lembro do seu texto sobre o dia da família e comentei sobre ele na faculdade.
Acho que precisamos sim vê, participar, incentivar, buscar entender... isso é respeito.
Eu já fui para várias manifestações do Orgulho Gay, e vejo como essencial essa demonstração. É uma forma de dizer "estou aqui, sou igual a você".
Tenho o maior respeito e se um dia tiver filhos quero que em casa eles aprendam isso, respeitar o outro.

TExto ótimo! bjsssss

Danielle Martins disse...

Apoiadíssima Mi,
Também nunca fui a nenhuma manifestação mas apoio e fico feliz que elas existam, sejam de qualquer natureza que combata o preconceito.
Parabéns pelo belo texto!
Bjs

Mi Satake disse...

Gente, q maximo as novidades q vcs acrescentam ao q eu coloco aqui no blog! Super b acana e essencial!

E essa coisa da igualdade é basico, ne?

Bjo grande!

elza aires disse...

hospedagem de sites

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...