domingo, novembro 7

O AMIGO IMAGINÁRIO DOS NOSSOS FILHOS


Sim, eles são fato e a maioria das crianças entre três e seis anos os têm (ou tiveram). Não é exclusividade ou preferência dos mais solitários.
Me recordo que a Sofia tinha longas conversas com o Bibido, isso por volta de  seus 3 ou 4 aninhos; na época ela já frequentava escolinha e também já não era filha única, mesmo assim, ainda encontrava um espaço para esse companheiro invisível, que praticamente tinha lugar à mesa de jantar, conosco.
Alguns dias o papo era exteeenso, cheio de risinhos, caras e boquinhas. Em outros a troca se resumia a conversas mais tímidas...
Nos momentos mais críticos, digamos assim, em que a filhota havia aprontado, quem levava a culpa? O Bibido, claro rs!
E dessa forma eles percorreram juntos, uma boa parte dessa fase da infância dela. Tudo dentro do que , observando, poderíamos chamar de normal. O Sandro e eu nunca podamos ou censuramos; depois de um tempo, ela e seu amiguinho transparente, despediram-se naturalmente...
...hoje, de amizade imaginária, só nos resta o Soren Lorensen, quando estamos assistindo todos juntos, ao Charlie e à Lola.

******
Essa memória, arranquei lááá do fundinho do baú, após ler uma matéria sobre o assunto na Super Interessante deste mês.
Segundo especialistas - e aqui cabem  pedagogos, psicanalistas, educadores, psicólogos etc etc etc - os amigos imaginários são comuns e absolutamente normais na primeira infância, especialmente entre filhos únicos e primogênitos, já que na maior parte dos casos, ainda não possuem um parceiro/confidente real.
Esses amiguinhos são importantes para o desenvolvimento da oralidade, da personalidade, ajudam a organizar o pensamento e a treinar a experiência da amizade. São uma espécie de apoio para os pequenos.

Obviamente para nós pais, na maioria das vezes, flagrar o filho num bate papo com alguém que não estamos vendo, causa estranheza... e susto; porém essas figurinhas como o Soren Lorensen, o Bibido e alguns outros que também já abandonamos lá trás, como o coelhinho da páscoa e o papai noel, cooperam para o crescimento mental das nossas crias, estimulando atenção, imaginação, percepção, raciocínio, aprendizagem, enfim todo o processo cognitivo de uma forma geral ,e que lembremos, está em pleno vapor nesta fase. Deixá-los dividir o café da manhã ou o brinquedo predileto com esses companheiros pode significar um adulto mais criativo e inteligente, entre tantas outras coisas. Uma criança que convive desde cedo com o que não vê, tem mais capacidade de compreender um átomo ou uma raiz quadrada, segundo esses estudiosos.

Acho que a nós pais cabe estarmos atentos ao grau de amizade e ao tempo dedicados aos Bibidos da vida, se a criança se relaciona e socializa com tranquilidade com aqueles à sua volta.
Depois de um certo tempo o adeus deve acontecer. Comumente, o laço perdura até no máximo seis anos, e alguns nem se lembram que trocaram segredos com essas criaturinhas que não enxergavam.

Se puderem, leiam mais um pouquinho sobre essa fase, aqui.

E seus filhotes meninas, têm amigos imaginários? Tiveram?
E vocês, se recordam de ter tido?


Eu, de vez em quando ainda falo sozinha rsrs!

Beijos a todos e um excelente domingo!

37 comentários:

adri disse...

a yasmin até pouco tempo atrás batia papo com a Ana, agora com a chegada do seu irmãozinho Enzo a Ana sumiu,e foi tudo sempre muito natural aqui em casa desde a chegada da Ana quando a Yasmin tinha seus 3 aninhos até sua partida, foram 7 anos que a Ana fez parte da familia mas isso nunca prejudicou a Yasmin foi tudo muito natural hoje o irmão e os amigos reais preenchem todo o tempo da Yasmin, com certeza ela vai lembrar sempre dessa amiga imaginaria.

Tatiana disse...

Minha querida Mi!!!
Acho que os meus pimpolhos nao tiveram nao, agora euzinha aqui tenho ate hoje...hahahahaha...juro, falo sozinha ..e muito, como se tivesse alguem me escutando...hahahaha...(nao sou louca naaaaao)!!!
Outro dia estava ate pensando em fazer um post sobre isso, vou ate comentar do seu quando eu fizer!!!
Beijocas!!!

Mimo Chic disse...

Perfeito, A Sol que é uma super mãe já tinha me contado histórias ótimas, foi um prazer
Bjs
Lulu & Sol

Lia Araújo disse...

Mih querida, saudades suas...
Aí que post
Eu fiquei pensando... eu tinha um amigo imáginário ( ops, eu tenho ainda, eu acho, ele anda meio sumido, mas ele meio que me acalma... eu acho que tô bem grandinha pra ter um, mas eu tenho....isso pq eu nunca deixo as coisas partirem, isso é um problema, eu sei)

beijos querida
Otimo domingo

Chica disse...

Lindo e bem interessante teu post sobre esse tema.Acho que todos nós tivemos e ainda vemos hoja nas crianças...

Tão legal! beijos,ótimo domingo,chica

Bela disse...

Oi, Mi!!

Minha Aila ainda tem 2 anos mas já vejo que conversa sozinha volta e meia. Deavaneios de crianças e isso é bom pois aflora sua criatividade!!
Muito bacana seu post! Aliás todos seus posts são educativos e muito legais!!

Um lindo domingo pra vcs todos!!!
Ei, vc está sabendo de nosso encontro de bloguerias que vai acontecer em SP em dezembro??? Gostaria de poder conhecê-la pessoalmente. Caso não saiba detalhes, me diga e lhe passo! Beijocas!! Bela.

Anng disse...

Hahahhaha... nossa, eu apesar de estar bem grandinha ainda tenho uma amiga imáginaria!
É bom...porque eu conto tudo para ela,e tenho certeza que ela não vai contar para ninguém.
Hahhahaha eu ri muito aqui!
Beijos Mi

Cristina João disse...

Oi Mi,
Obrigada pelo carinho e visitas lá no RECOMADRES, adoramos.
Amigos imaginários são parte da infância e em alguns casos, indispensáveis para o desenvolvimento da criança, os mais tímidos, por exemplo, necessitam mais dessa amizade.Concordo com você em tudo, principalmente que o adeus acontecerá também de forma natural...o meu mais velho tinha o dele como um verdadeiro ídolo que fazia tudo perfeito e chamava-se Zé,já o mais novo, tinha o Bento que levava a culpa por todas as coizas erradas que ele fazia, assim como o Bibico era o "saco de pancadas" e até ficava de castigo.
Tudo sempre dentro da maior normalidade e sem muitos incentivos e nem desaprovações, aos poucos foram "guardados" no baú das memórias.
Lindo post, vejo mães desesperadas com esses amigos, que também vão passar...
Beijos,
Cris João.

Alessandra disse...

Mi, meus filhotes não tiveram amigos imaginarios não, o João sempre teve muitos "amigos", a rua inteira, o jornaleiro, todos os porteiros dos predios da rua, até o homem do jogo do bicho. Talvez esse tenha sido o motivo, não sei ... E o Caio tb não teve, não sei se por já ter um irmão-amigão.
Mas eu falo sozinha :)
Beijos

Minéia Pacheco disse...

Olá Mi,

Meu filhinho até o momento não me apresentou nenhum amiguinho imaginário dele, mas ele tem apenas 2 anos e 8 meses, quem sabe daqui a uns dois anos ele não me aparece com algum? rsrsrs
Muito interessante esse seu post, tenho várias amigas que me contam dos amigos imaginários de seus filhos, uma graça!!

Beijão e bom domingo!

Mi Satake disse...

É uma fase engraçada, n´´e meninas!

Bem legal, como as outras várias q eles atravessam.
a Sofia passou por isso como descrevi,já o Theo não teve essa forma de amizade. Ele é um gruuude na sofia rs!

Bjs

ValeriaC disse...

Muito legal voce estar falando sobre este tema... para os pais de primeira viagem, e mesmo os que achavam que poderia ser algo estranho...ficarem sabendo que tudo isso faz parte do desenvolvimento das crianças...
Tenha uma linda semana...beijos
Valéria

Tatiana disse...

Acho que muitos de nós em um momento da infância passamos por isso... Nunca estamos sós... e durante a infância as coisas e mistérios não nos assustam tanto!
Tenha uma semana maravilhosa!
Beijos com meu carinho

Malu disse...

Mi , amiga querida


Até hoje tenho amigos imaginários e como converso com eles ...Rsrs
Adoro-os ... :)



BjO Grande e um Final de Domingo
cheio de Paz.

Cristiane disse...

Mih, a maioria das crianças tem amiguinhos imaginários...É uma fase! O kardecismo, diz que temos que ficar atentas ao modo como a criança reage para que ela não esteja demonstrando "vizualizando" nada além de seres de luz.Eu acredito nisso também. Bom domingo. :))

Livinha disse...

Oi Mi,
interessante o texto.
O que nada fica fora do contexto.
As crianças tem sim um amigo imaginário, algo que não vemos, mas ele sim, creio que ver.
São capazes de descrever as suas nuances, num jeito simples e fácil de entender.
Elas não inventam, são verdadeiras e sentidas, onde nada lamentam, vivendo seus dons da vida.
Eu, não me lembro, mas costumava falar sozinha, sempre direcionada ao meu eu, talvez por aquela conversinha, alí tão sozinha, que gostaria de contar a alguém que penso me esqueceu...
Somos seres multiplos muitas vezes, criamos, e damos vida e forma ao que vivemos, dentro das nossas fantasias...

Adorei o texto minha querida.

Linda semana pra ti

Bjs

Livinha

Cantinho She disse...

Queridonaaaaaaaa, amigos imaginários são tão saudáveis, né? Mas algumas vezes quando falamos sozinhos acho que é porque eles ainda estão ao nosso lado... hehe
Mas aí dependendo da crença de cada um as interpretações podem mudar...rs
Beijo, beijo!
She

Michele disse...

Amada, é comum, mas a minha filha não teve. Mas se tivesse compreenderia, tranquilamente. É um modo de descarregar emoções e desenvolver o QE (quociente emocional). Devemos respeitar, mas não alimentar. O amigo imaginário é espontâneo, ele vem (com a necessidade que o gerou) e vai (automaticamente). Não devemos reprimir, mas não podemos transformar numa situação real a ponto de transformar essa postura da criança algo permanente.

Eu em compensação tenho até hoje (gargalhadas).

Um beijo,
Mih

Mi Satake disse...

Amei as impressões que puderam me passar de assunto!
Algumas crianças andam mesmo de maozinhas dadas com esses amigos, outras não passam por isso. O legal é entendermos q passa e que é normal!

Legal podermos ter trocado sobre isso!

Beijos e voltem sempreeee!
Mi

Lara Amaral disse...

Eu vivo a conversar sozinha, pelos meus poemas que vc já leu, deve ter percebido, né? rs...

Obrigada por seu atencioso comentário, Mi!

Beijo!

Malu disse...

Mi, amiga querida


Passando pra te desejar uma Noite de Paz e uma Semana cheia de Sorrisos ...


Bjo.

Micheli disse...

Oi, Mi. Eu não tive essa fase e a Clarinha ainda não teve. Mas, se tiver, acharei perfeitamente normal - e engraçado!
Como cresci filha única, sempre conversei muito com as bonecas mesmo, e arrancava risadas da minha avó que ouvia escondida. Clarinha também já faz o mesmo, fala pelos cotovelos com as bonecas, bichos e tals.
Sobre seu comentário, ela realmente fala ainda em terceira pessoa, mas já fala muito em primeira também. Está na fase de misturar tudo. rs.
Beijos!

Vanessa Souza Moraes disse...

Não tenho filhos, não sei.

Maria Dias disse...

Oi...

Bacana este tema...Bem, meus filhos não tiveram não(tenho três filhos)mas eu busquei muitos amigos imaginários na infância por ser uma menina solitária(mas nao lembro de nenhum por hora).Será q isso tá ligado a solidão?

Aproveitando, já estive aqui antes, pois estou participando do amigo oculto da nossa amiga Ester... Daí, estou visitando as minhas companheiras da brincadeira do amigo oculto.Ah, tb vou te linkar para voltar mais vezes(se puder fazer o mesmo com meu blog eu agradeço).Adorei teu blog e o teu jeito de escrever,mas hoje entendi o pq gostei tanto(vc é uma publictária.Não poderia ser diferente vc seduz a gente com as palavras hein?rs...)parabéns escreve muito bem!

Te aguardo no Ofertando lores...

Beijo!

Maria

P.s.adorei o papel de paredes de bolinhas!rs...

Rosane Marega disse...

Legal, amei o post.
Beijossssssssssssss

Gabriela Cristal disse...

Eu não lembro de ter tido amigos imaginários na infância mas meu sobrinho mais velho tem uma amiguinha. Acho o maior barato, rs.
Tenha uma linda semana.
Bjos.

Ana disse...

Eu sempre tive mania de falar sozinha tb. As vezes até discuto. Rs.
Meu filho não percebi ainda "alguem". Ele fala com os brinquedos e se imagina em algum cenario ou situação. Mas ainda não vi ele conversar com um Sorem Losensen. Iria adorar.
Beijos!

Thais.S disse...

Que legal este post! Na minha infância não tive um amigo imaginário, tive váaarios!
Bjs

www.relicario-fashion.blogspot.com

Shuzy disse...

Eu tive! Mas não lembro o nome...
Adorava*

Mamma Mini disse...

Mi que pena que vc não foi, tava incrível, vc ia amar, muitas coisas para o Theo e pra Sofia, fantasias lindas, coisas de decor, na próxima tenta ir, inclusive com eles porque tinha um play incrível pras crianças... bom aqui em casa ainda não rolaram os imaginários, porque meu mini tá pituco ainda, mas jajá eu sei que deve aparecer por aqui, eu já fico com a meda de ele estar vendo coisas que eu não estou ...rs rs rs rs beijos querida!

ana paula disse...

A Sophia tem duas "irmãs" a Mafim e a Filó inseparáveis. beijinhos pra ti.

Ioly a dona do verdades... disse...

Eu não lembro deles, e a Mi ainda não apareceu com nenhum. Não li nada sobre o tema, mas acredito ser um comportamento normal. Os amigos nos deixam mais seguros, nos ajudam a enfrentarmos nossos medos, coisa boa ter um sempre por perto...
bjks

Albuq disse...

Meu amigo imaginário ainda existe... acredita? Pois é, não cresci! kkkk bjs, ótimo post!

Amanda Luna disse...

Oii, ainda não tenho filhos, mas como fui criança há pouco tempo atras ( lei-ase q quase 28 anos)rss lembo que eu tinha sim u mamigo imaginário... não lembro o nome dele, so lembro que era um menino e, eu era que nem a sua filha.. na hora que aprontava alguma coisa colocava a culpa no tal "amigo"rsss
beijão
www.sermulhereomaximo.com.br

Flavinha disse...

Mi, como você mesma citou no texto, se eu tive um amiguinho imaginário, não me lembro mais.

Costumo dizer que o meu chefe tem vários amigos imaginários porque ele vive falando sozinho! rs... é meio doidinho sabe? rs

Bom, quanto às crianças, me parece que a maioria delas tem seu amiguinho mesmo. Acho um barato!

Elas brincam numa boa, conversam e até dão bronca! rs

Ainda não tenho filhos, mas adoraria passar por esta experiência com eles e filmar estes momentos para que eles possam, no futuro, reviver tudo isso que, um dia, sairá das suas memórias.

Um beijo querida.

Leticia Carneiro disse...

Oi Mi, a Lanna ainda não chegou nessa fase, mas tudo me leva a crer que logo, logo ela vai achar um amiguinho, porque ela costuma conversar bastante com os brinquedos, as vezes fico observando e me divirto com a cena...mas sendo saudavel e inocente, concordo que é normal passarem por isso.
No meu caso acho que só resolve com internação...kkkk aloka!
bjim, fica com Deus.

Dri disse...

Nossa Mi, eu também vivo falando sozinha! hahaha
Meus filhos também já falaram mto sozinhos, mas nunca tiveram um amigo imaginário assim fixo, acho tudo isso muito normal e saudável!
Bjo querida

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...