sexta-feira, novembro 26

SUPER PAIS (E SUPER MÃES)



Mi, você é superprotera!
Esta foi a frase que ouvi da esposa  de um amigo (ela é terapeuta), durante um papinho rápido. 
A conversa foi boa  apesar de rápida, e mesmo assim ela conseguiu identificar isso.

Porém, olhando bem pra mim, sinto que sou apenas cuidadosa...
Brigo (se necessário) com as tias da escola, vigio o lugarzinho deles na fila do escorrega, cheiro o pezinho, admiro durante o soninho...

Imagino que minha surpresa nisso tudo, tenha sido pelo fato de nunca  ter escutado a dita frase, de um profissional. Pra mim foi estranho e engraçado.
Isso porque nós, pais e mães zelosos, sempre achamos que essa palavrinha SUPER, colocada antes de PROTETOR, é puro exagero.  Não?! (...)
No fim das contas me peguei dedicando àquela agradavél conversa, mais horas de preocupação do que eu gostaria..

Será que minha tendência é sufocar os filhotes?

Seria herança?
Coisa de primogênito?
Coisa de leonino?
Ou tudo isso junto ?

Quando os pensamentos  me fizeram tais perguntas, lembrei-me automaticamente das mãos, sempre cheias de mimo, do meu pai.
Era como se elas se materializassem na minha frente, na forma do que fosse, sempre que eu precisava... meio que O Escudo do Leônidas, de Esparta, sabe rs?
E se é verdade que somos pais e mães, COMO NOSSOS PAIS  foram...
Meu comportamento quando o assunto é maternidade, está beeem explicado.

Meu pai superprotegeu pacas (e ainda o faz se eu der  a mínima brecha...) Fez, desfez, ensinou, aconselhou, explicou, destrinchou, guiou e um pouco mais.
Um bocado do que sou hoje vem mesmo dele.

Me acompanhava todas as manhãs à escola (até o primeiro dia da faculdade, pasmem), fazia minhas tarefas de geografia  (eu odiava pintar mapas hidrográficos), me ensinou a andar de bicicleta e secava as incontáveis lágrimas depois dos sucessivos tombos com ela...

Vez ou outra ele ainda me puxa pelo braço pra uma conversa da-que-las. Começa a enfileirar conselhos, querendo me passar seus ensinamentos de pai coruja, até hoje. Os papos são longos, viu?
Com absoluta certeza, ele ainda me exerga como uma menina de 5 anos, estendendo-lhe a mão, para atravessarmos a rua (não, ele não admite que baba os filhos deslavadamente).
Certemente, seus excessos renderiam crônicas hilárias, porém impublicáveis (Theo e Sofia a mamãe promete não dar essas bolas fora... digo, juro me esforçar para isso)


Um final de semana cheio de mimo e babação paz a todos!
Beijo

23 comentários:

Donna Wal disse...

Ai amiga,entendo você também sou um pouco assim,gosto de saber tuudo,estou sempre de olho e agora que minha filha ta quase mocinha tô entrando em parafuso!!!kkkkk...
Mas quer saber?
VoCê ta certissíma amiga,é melhor pecar por proteção demais do que pela falta dela!

Ah...desculpe pelo sumiço...ta muuuito dificil conciliar casa,filha,marido,dog e trabalho...agora no fim de ano a loja fica mais movimentada,
sinto saudades!
Pensei em abandonar o blog mas não consegui..rsrs...daí fiz uma parceiria com uma amiga querida,quando puder passa lá pra conhecer.Um beijo GRANDE.

WAL!

AC disse...

Mi, gostei muito de ler o que escreveu. Desde que não asfixie os seus filhotes, e tenho a certeza que não, os cuidados e as preocupações nunca são de mais.

Beijo :)

Uni ver sos disse...

Mi, querida....

Que mãe maravilhosa vc dever ser!!
É melhor errar por excesso que por falta,
Cansei de ver filhos carentes pendurando-se nas 'tias' da escola, porque não sabiam o que é carinho e atenção em casa... afff!

Isso mesmo, faça muito cafuné, dé muitos cheirinhos, abraços e afins... seus filhos serão eternamente gratos!

Na fase da adolescência vão encher o saco falando que vc superprotege porque é natural, eles estarão na fase da auto-afirmação,
mais tarde vc será lembrada como uma mãe que deu o seu melhor, deu todo o seu amor e carinho,
e eles terão boas estórias para contar em seus blogs de uma mãe que foi show de bola!!

Saudades, Mi! :D

Mika °° disse...

Oie Mi,

Adorei seu recadinho no meu blog.. hehe

Meu pai é muito parecido com o seu, mas o meu é meio ciumento também, fica fiscalizando as minhas roupas até hoje, você acredita?

Acho que tudo tem que ter limites também MI, pois proteger demais só prejudica, todo mundo precisa cair e aprender a levantar.

Beijos querida, Te adoro!

ogatoquepesca.com

Livinha disse...

Mi,
Transmimento de pensação?
Eita estava pensando em ti, quando te vi lá no AC, e pensei vou na mi
e há! encontrei o teu perfume deixado no meu jardim...
Menina,
Histórinha que narraste, aqui eu te falo, é tudo iguallllll e só muda de endereço!
Eles chamam nossa atenção, nos puxam as orelhas, ai meu deus fico a pensar, será que só falo besteira? mas veja só o que é que há, esse meninos levado, uma palmada nos querer dá!!!
É desse jeitinho mesmo.

Mas vamos devagar... Seguindo até a proxima.

Adoro teus textos bem descontraidos e divertidos de ler.

Um lindo fds pra ti

Bjs

Livinha

Isadora disse...

Oi Mi, entendo o seu espanto. O que para nós parece apenas cuidados, aos olhos dos outros tem outro significado.
Fiquei pensanso sobre superproteção. Será que é tão ruim assim?
Sei lá, acho que podemos ser superprotetores, sem passarmos a mão na cabeça para tudo o que fazem, sem deixarmos de chamar a atenção quando vemos alguma coisa errada, quando não dizem bom dia ou obrigada.
Enfim endurecer sem perder a ternura e cuidado!
Um beijo

Uni ver sos disse...

Oi Mi,



Gostaria de convidar vc para participar do nosso 2º Amigo Oculto de Natal, as inscrições estão abertas para quem quiser participar, será uma linda festa de confraternização virtual. Para saber mais detalhes e se inscrever passe no meu blog.

Abraços e obrigada!!

Ξ ѕ t є я

Sandra disse...

BOM DIA!
É com muito carinho que venho lhe convidar para participar da Festa de Aniver da nossa Querida Amiga Chica, no blog. INTERAÇÃO DE AMIGOS.
Hoje vc também é o meu convido(a) Especial. Vou te espera lá. Venha comigo. Vamos cantar PARABÉNS PARA ESTA LINDA RIO GRANDENSE.
Carinhosamente
Sandra

http://sandrarandrade7.blogspot.com
Ou pegar o link aqui na Curiosa.
A festa vai ser muito linda.
Vamos???
VAMOS FESTEJAR!!!!

Roberta M. disse...

Mi, outro dia um amigo que é pedagogo me falou que ponho meu filho numa bolha, que ele é um menino bolha...tb fiquei analisando isso e decidi que sim, até onde eu achar que posso protege-lo (sem sufocar ou castrar) eu vou faze-lo, porque tb gostei muito da sensaçao de proteçao que recebia dos meus pais, que isso fica estampado em nossa memória e é uma lembrança muito gostosa!! E já tem o pai para fazer o papel de joga-lo aos leoes rssss, é isso aí, siga seus instintos e vais bem!! Beijocas

Betty Gaeta disse...

Mi,
Minha mãe era superprotetora, repressiva e um tanto invasiva. Eu tive Escola Maternal e convivi com mães assim. Para mim foi uma lição e tanto! Criei minha filha para o mundo e não para mim e uma frase que ouvi fez toda a diferença:
"Ser mãe é a arte de se tornar desnecessária".
Se vc atentar e refletir sobre esta frase, vai ver o qto ela é útil na sua experiência maternal.
Bjkas e um ótimo final de semana para vc.

http://gostodistonew.blogspot.com/

Anng disse...

Gostei Mi...
Amo a cada dia mais esse blog.
Beijos querida.

Michele disse...

Eu também sou SUPERPROTETORA!

Não vejo nada de negativo nisso. Não mimo, amo.
Não privo, cuido.

Eu simplesmente sou mãe.

Minha mãe era, eu também sou, e minha filha certamente será. E estamos bem.

Agora se você está preocupada converse com teus filhotes. Como eles se sentem?

Abstrai Mi.

Um beijo
Mih

Donna Wal disse...

Ah! Sou assim...faço tudo o que vc disse...rs
já me vejo chorando no primeiro dia de escolinha da minha Sophi....rs
Obrigada pelo recadinho, adorei!!!
Gostei daqui!!!

Beijocas!!!
Lan

Patrícia Boudakian disse...

Minha mãe até hoje (veja bem, estou casada e morando em minha casa) se preocupa comigo. Tem vezes que dou risada porque é realmente hilário, mas na maioria entendo como amor, como zelo. E acho que isso é bom. Ela é como seu pai, sabe! E acho que eu serei um pouco assim com a Alice também, que ainda está na barriga mas já ocupa grande parte do meu coração e do marido tb! É natural... menos os micos né?
Outro dia (moro em SP) minha mãe me ligou e pediu pra eu tomar cuidado quando sair de casa porque de repente esse bandidos que estão tocando o terror no Rio podem vir pra São Paulo... não é demais?
hahahahahaha
Beijinhos!

RECOMADRES disse...

Oi Mi,
Sou protetora SIM!!! Fui protegida e isso foi bom, me transformou numa pessoa bastante segura e feliz! Aprendo, todos os dias, que proteção pode sim caminhar junto à independência.Não realizo e nem assumo as responsabilidades de meus filhos, mas estou sempre pronta pra ajudar, aconselhar, orientar e seguir sempre pelo caminho, nem sempre mais fácil, mas da verdade e do bem.
Lá na frente é que colheremos tudo o que foi plantado e eu não vou acertar em tudo mas não vou me sentir culpada por falta de tê-los protegido mais.
É isso, em fim, cada um é cada um....
Beijos,
Cris João.

RECOMADRES disse...

Oi Mi,
Sou protetora SIM!!! Fui protegida e isso foi bom, me transformou numa pessoa bastante segura e feliz! Aprendo, todos os dias, que proteção pode sim caminhar junto à independência.Não realizo e nem assumo as responsabilidades de meus filhos, mas estou sempre pronta pra ajudar, aconselhar, orientar e seguir sempre pelo caminho, nem sempre mais fácil, mas da verdade e do bem.
Lá na frente é que colheremos tudo o que foi plantado e eu não vou acertar em tudo mas não vou me sentir culpada por falta de tê-los protegido mais.
É isso, em fim, cada um é cada um....
Beijos,
Cris João.

Ana disse...

Meu tb era assim. Queria me levar para todos os lugares. Confesso que na adolecencia isso me deixava brava, achava exagero.
Mas hoje vejo como me senti segura.
Beijos!

Anne disse...

Ai que graça Mi! Eu não fui muito protegida, mas sou uma entusiasta da causa... eu curto um bebê estragadinho, cercado de mimimi...
Pode estragar e proteger à vontade... os filhotes merecem!
bjo bjo

Chris Ferreira disse...

Oi Mi,
mas não é melhor ter essas histórias hilárias e impublicáveis do seu pai do que não tê-las? Elas prejudicaram mais ou ajudaram mais na sua formação? Então, acho que podemos ser um pouco superprotetoras sim e fazendo isso mesmo, não tentando repetir os erros que já conhecemos. Mas aqueles que ainda não sabemos ser erros, vamos cometê-los na certeza de que estamos acertando. E assim nossos filhos vão ter histórias hilárias e impublicáveis. Melhor assim. Eu acho, pelo menos.

Deixei um selinho para você lá no blog, tá?
beijos
Chris
http://inventandocomamamae.blogspot.com/

Tatiana disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Tatiana disse...

Um cuidado respeitando sempre o individualismo é amor, e por mais que nos sufoque as vezes, no final nos faz seres mais auto confiantes!!!
Beijocas minha querida!!

Cantinho She disse...

hahahahaha muito bom Mi, beijo, beijo! ;)
She

Micheli disse...

Não acredito que excesso de amor pelos filhos seja algo ruim. Ser uma mãe cuidadosa é muito melhor que ser uma mãe que mal olha para os filhos! Independente de opiniões profissionais, amor é amor e ponto. Não acredito que você seja uma mãe que sufoque os filhos.
Meu marido uma vez disse isso para mim. Fiquei muito ofendida, porque tudo o que faço é para o bem dela. Acredito que você seja assim também.
Achei linda a sua descrição da dedicação e proteção do seu pai.
O meu era super protetor no sentido de me proibir de tudo, me trancar em casa para que nada acontecesse, mas sem nunca explicar o por quê das coisas, sem aconselhar, nada. Acho que esse tipo de super proteção que apenas anula é ruim. A descrição da paternidade que você escreveu, ao meu ver, parece cheia de ternura e amor. E é o que mais importa.
Beijos.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...